Artigos

Como funcionam os benefícios dos pagamentos na era do PIX?

Pagamentos: entenda como funcionam os benefícios na era do PIX 

O sistema de pagamento brasileiro refere-se ao conjunto de instituições, regulamentações e infraestrutura que permite a realização de transações financeiras no Brasil. Ele engloba diversos meios de pagamento, incluindo dinheiro em espécie, transferências bancárias, cartões de débito e crédito, boletos bancários, pagamentos eletrônicos, entre outros. 

O Pix é um meio de pagamento instantâneo, criado pelo Banco Central do Brasil, semelhante ao TED e DOC, no que tange a transferências de fundos. O Pix reúne vantagens na redução de custos, agilidade nas transações, integração de dados e segurança nas operações, entre outros. 

Claramente o Pix superou todas as expectativas e se consolidou como um novo meio de pagamentos no mercado. Temos inúmeros cases de sucesso e aplicabilidades possíveis de descrever aqui nesse artigo, mas, neste momento, daremos maior atenção aos pagamentos. 

Como o Pix ajuda com os nossos pagamentos no dia a dia? 

Com certeza, alguns de nós já não recordam o necessário para ter condições de comparar como pagava e recebia até novembro de 2020 (lançamento do Pix). Bem, nada melhor do que falarmos nos benefícios de modo a reforçarmos os ganhos que obtivemos nesses mais de dois anos de operação. Então, para podermos tratar dos avanços obtidos com os pagamentos, vamos abordar três tópicos; QR-Code, interoperabilidade e instantaneidade. 

Trazendo um pouco de contexto sobre o QR- Code, trata-se de um código bidimensional que pode ser acessado por tablets e smartphones, viabilizando transações de maneira rápida e prática. Nesse caso específico, transações eletrônicas para pagamentos e recebimentos. 

A escolha de um padrão, batizado de BR-Code, direcionou o mercado brasileiro para um formato interoperável, possibilitando que os códigos gerados por todos os bancos, IFs, IPs, Fintechs, sejam reconhecidos e não tenham a necessidade de utilização de APPs específicos para a realização das transações. Junta-se a isso, não menos importante, mas que complementa esse pilar de sucesso: a instantaneidade. 

A instantaneidade transacional veio no pacote do Pix, que chegou ao mercado com essa premissa. Acontece que, a instantaneidade acabou virando a “cereja desse bolo”. Num olhar para o varejo, onde há a possibilidade de estampar um código QR-Code no balcão, seja impresso ou numa maquininha de cartão, com baixo custo (em alguns casos a custo zero) e com os fundos disponíveis instantaneamente, facilita e muito os negócios. 

No lado de quem paga, não ter a preocupação se tens dinheiro em espécie no bolso é um grande ganho, já que, os smartphones são quase inseparáveis dos seus usuários. Por outro lado, quem recebe, tem benefícios. Não ter necessidade da sangria de caixa, receber instantaneamente na sua conta e não ter as taxas de cartões/adquirentes em caso de recebimento via cartão. 

E ainda temos os pagamentos das contas de consumo, os tradicionais boletos. Tão importantes e presentes no nosso dia a dia. Alguns boletos, além do já tradicional código de barras, já contam com o QR-Code. 

E como já temos a opção de agendamento via Pix, nesse caso, para quem paga é transparente, ou seja, não há diferenças na experiência do consumidor. Para quem recebe sim, tem diferença, uma vez que voltamos ao ponto do recebimento instantâneo, num formato transacional P2B (consumidor + negócio) direto, fazendo também com que, os custos sejam reduzidos. 

Complementarmente, e, ainda na linha dos pagamentos dos boletos, temos as vendas via E-commerce. Muitas das vendas via E-commerce acontecem com pagamentos através de boletos. Com o Pix no boleto, seja pelo código QR ou através de um link de pagamentos, temos um ganho de eficiência e otimização logística, oportunizando aos compradores receberem os seus produtos em tempo reduzido e os vendedores obterem ganho de eficiência. 

Contribuindo com o mercado, a Lydians Sistemas de Informação, oferta uma solução completa para instituições que desejam atuar com o PIX como meio de pagamento. Realizamos toda a comunicação necessária com o Banco Central de acordo com os padrões de segurança e desempenho estipulados.  

Nossa solução evolui juntamente com o avanço regulatório, que garante a escalabilidade requerida e com a consistência necessária para oferecer a melhor experiência aos clientes. 

Artigos relacionados 

O que é o SPI e como ele funciona?  

Compensação de Boletos pós Modernização da Cobrança 

SPB – Desmistificando os custos 

Conteúdo em destaque

DRSAC: A importância do CADOC 2030

Conhecendo o documento de Riscos Social, Ambiental e Climático O documento de Riscos Social, Ambiental e Climático (DRSAC), novo Cadoc 2030, é uma peça-chave para entender e mitigar os riscos enfrentados por instituições em suas operações de crédito e investimentos. Este documento, exigido pela Resolução CMN nº 4.945/21 (PRSAC) e Resolução CMN nº 4.557 (GIR), […]

Acessar conteúdo
Saiba como funciona o envio do Cadoc 5005
Novo CADOC 5005: Simplificando o envio diário de informações Financeiras

É hora de se aprofundar no documento 5005 e entender melhor as informações e prazos de envio Entender as nuances de Certificados de Depósito Bancário (CDBs), Recibos de Depósito Bancário (RDBs) e depósitos de aviso prévio de emissão própria é fundamental para quem busca simplificar o processo de remessa diária de informações. Nesta publicação, vamos […]

Acessar conteúdo
Regulatórios e PIX: Agenda de inovações do Banco Central

Retrospectiva com olhar para o futuro: O que esperar do universo dos Regulatórios e do PIX Relembrar é viver, e é por isso que nesta publicação iremos rever as principais entregas do ano de 2023 quando se trata de PIX e Regulatórios. Os impactos positivos em nossos clientes, demonstrando nosso compromisso com a inovação. Primordialmente […]

Acessar conteúdo
PIX: Como o meio de pagamento impacta o FGTS Digital

Como preparar sua Instituição Financeira para o FGTS Digital com o sistema de pagamentos instantâneos O que é o FGTS Digital? O FGTS Digital é um conjunto de sistemas integrados que vai gerenciar os diversos processos relacionados ao cumprimento da obrigação de recolhimento do FGTS conforme diz o Ministério do Trabalho e Emprego, e para […]

Acessar conteúdo